Hábitos profissionais ruins

Olá pessoal tudo bem? Vocês já pararam para pensar nos hábitos de vocês?

Os hábitos são ações que realizamos de forma repetitiva e muitas vezes de forma automática. São exemplos de hábitos do nosso cotidiano: realizar nossa higiene pessoal, nosso trajeto até o ambiente de trabalho, dependendo do seu ramo de atividade até nosso trabalho é realizado através do hábito.

Como tudo na vida temos hábitos bons e ruins. Primeiramente vamos deixar claro que os hábitos podem ser mudados de acordo com nossa vontade e/ou necessidade, é verdade que nem sempre essa tarefa é fácil, mas com persistência é possível.

Hoje vamos focar em alguns hábitos que acabam sendo prejudiciais no âmbito profissional, atitudes essas que muitas vezes é realizada de forma tão automática que impedem o crescimento profissional do individuo sem que ele perceba.

Vou listar desses alguns hábitos que impedem a ascensão profissional

  1. Reclamam da 2ª feira e torcem pela sexta – Peço que nesse item não me levem a mal, eu também adoro passar meu tempo livre com a minha família. A questão aqui é para algumas pessoas a atividade laboral se torna um fardo tão grande que quando a segunda feira se aproxima é até motivo para crises de ansiedade.
  2. Ser desorganizado – No ambiente profissional, a organização é uma qualidade muito importante. A partir do momento que o colaborador não realiza suas atividades com mínima organização ele pode prejudicar o andamento das tarefas a ser realizada pelos demais profissionais.
  3. Procrastinação – Aquele lema de deixar tudo para depois é um dos piores hábitos que se pode ter dentro do ambiente corporativo. Como o mundo anda bastante acelerado precisamos que as tarefas sejam realizadas em um curto período de tempo para que assim sejamos mais produtivos.
  4. Uso excessivo das redes sociais – Nesse item entram 2 hábitos: primeiro aquelas pessoas que se utilizam das redes sociais para desabafar problemas corporativos, ou falar mal da empresa e do chefe e no segundo caso é o uso das redes sociais no horário de trabalho. É nítido que a rede social se tornou um tomador de tempo, muitos funcionários “esquecem da vida” enquanto estão entretidos em seus celulares ou trocando mensagens muitas vezes sem necessidade naquele momento.
  5. Fofoca com demais colaboradores – A fofoca é um veneno em qualquer lugar mas no ambiente profissional ela pode tomar proporções que fogem do controle das pessoas que iniciaram o boatos. Caso uma pessoa queira lhe contar uma fofoca simplesmente pare essa pessoa e diga-lhe que esse tipo de assunto não lhe interessa.
  6. Medo de novos desafios – No nosso cotidiano os desafios são lançados diariamente para que nos superemos. Algumas pessoas simplesmente querem que as coisas permaneçam exatamente iguais. Quando lhes é proposto algum desafio, o medo não pode sobrepor a oportunidade de crescimento. Tem medo do desafio? Inicio com coisas simples e depois parta para desafios maiores mas não fique estagnado.
  7. Acreditar apenas na sorte – Para algumas pessoas todo e qualquer ganho ou destaque de outra pessoa vem da sorte que ela tem na vida. Infelizmente algumas pessoas acreditam que não é preciso lutar para conseguir o que se quer, acreditam que quem conquistou um posto mais alto ou o salário dos sonhos está lá por causa da sorte e não dos próprios méritos. Não caia nessa cilada, lute pelos seus objetivos e colha seus próprios louros.

 

Pessoal como disse no começo desse post as mudanças não são fáceis mas elas podem ser bastante gratificante. Se você não estiver satisfeito com os resultados que tem obtido na sua vida, que tal tentar mudar as atitudes? Só depende de nós mesmos.

Beijinhos estalados e até a próxima.

 

 

Postura profissional

Olá pessoal tudo bem? Vamos falar hoje sobre postura profissional?

Muito se fala sobre postura profissional, porém parece que ainda restam muitas dúvidas acerta desse tema. Primeiro vamos falar sobre o significado de postura profissional, são atitudes que se espera que se tenha dentro do ambiente de trabalho.

Creio que é importante deixar claro que para cada organização há um tipo de conduta esperada, algumas possuem regras mais rígidas em contrapartida algumas com regras mais flexíveis. Mas a primeira dúvida que paira na cabeça das pessoas é: Qual tipo de postura determinada empresa espera de mim? Começamos a responder essa pergunta no momento da candidatura para uma possível vaga.

É necessário que se estude sobre a empresa. Sim, leia o máximo que conseguir, pesquise sobre e se possível fale com funcionários para que assim caso você seja selecionado para a entrevista você já saiba que postura é esperada.

Independente do tipo de organização tenhamos em mente uma coisa, não é porque a empresa é mais flexível quanto as regras de conduta que podemos achar que não precisamos de portar adequadamente.

Vou dar agora algumas dicas que são fundamentais independente do tipo de organização.

  1. Seja pontual.

A pontualidade é uma qualidade importantíssima no mundo corporativo. Hoje em dia temos tantos compromissos que um único atraso na nossa agenda pode acarretar prejuízos ao longo do dia e, além disso, pontualidade é sinônimo de responsabilidade.

  1. Educação

Parece uma dica obvia não é mesmo? Mas observamos muitas pessoas que dão total atenção aos altos cargos da empresa, porém não cumprimentam o porteiro. A educação abre portas em qualquer lugar. As palavras, por favor, com licença e obrigada nunca saem de moda.

  1. Cuide da aparência

Você não precisa ser um robô e se vestir igual a todo mundo, imprima toques da sua personalidade, mas sem exageros. Deixe aquela blusa decotada e aquela minissaia para outro momento. Aqui a pesquisa sobre a empresa se faz bastante importante.

  1. Fique atento as palavras

Gírias e palavrões não são bem vistos no ambiente corporativo. Já vi muitas pessoas justificarem o fato de falar palavrões alegando que seus chefes também o fazem. Vamos partir do princípio que cada um é responsável pelos seus próprios atos. E mesmo que uma atitude errada seja repetida mil vezes ela continuará errada.

  1. Redes sociais

Cuidado com o uso das redes sociais. Muitas pessoas as usam para desabafar algum problema ocorrido na empresa, mas vamos combinar que isso além de não adiantar nada somente depõe contra você mesmo. Frases como, “eu odeio segunda feira” e aqueles clamores pelo final de semana também devem ser evitados.

  1. Língua portuguesa

Atenção máxima na hora de falar e/ou escrever. Erros de português são simplesmente imperdoáveis em algumas organizações.

  1. Demonstre interesse

Demonstre interesse a tudo o que se refere à organização, você nunca sabe quando vai surgir aquela oportunidade que você está esperando.

  1. Se empenhe

Não se empenhe apenas para ser visto pelo chefe, mas faça o seu trabalho valer a pena. Orgulhe-se do que você faz.

  1. Pare de procrastinar

Aquele velho lema de “porque fazer agora o que eu posso fazer depois” está bastante ultrapassado. Faça o que tem que ser feito e caso lhe sobre tempo, use-o de maneira útil dentro da organização.

  1. Seja companheiro

Trabalhar com determinadas pessoas às vezes nos parece uma tarefa bastante difícil, porém temos que pensar no nosso objetivo dentro da organização e independente de questões pessoais estamos ali para dar o nosso melhor.

Espero que essas dicas tenham sido úteis para o profissional de vocês. Lembrem-se sempre e em qualquer situação de usar o bom senso. Ele sempre é o melhor remédio.

 

Beijinhos estalados e até a próxima

 

 

 

 

E chegou 2017…

Para algumas pessoas o início de um ano novo representa esperanças de uma vida nova, para outras apenas uma passagem de um dia para o outro.

Seja lá qual for o seu caso, se tem algo que não lhe agrada chegou a hora de mudar. Sinceramente tenho um pouco de dificuldade de entender o motivo de somente haver confraternizações no final do ano. Se o intuito desses encontros é aproximar pessoas porque só no final do ano essa iniciativa acontece?

O que realmente precisamos é parar de tentar encontrar motivos externos para realizarmos algumas ações. Vejo pessoas fazendo diversas promessas de ano novo, mas que não duram nem até o carnaval, marcando encontros que nunca acontecem,  dizendo que perdoam sem realmente o fazer, mas tudo em nome do espírito natalino e para “fechar o ano” com saldo positivo.

Mas a questão é: Até quando? Iniciei 2016 com diversos planos, sonhos, metas das quais confesso a vocês que não realizei da maneira que eu gostaria e posso afirmar categoricamente que a culpa disso foi minha mesma. Sempre tive essa mania de deixar para depois, deixar para uma data especial, deixar para a próxima segunda feira, mas infelizmente aprendi que esse momento pode simplesmente não chegar.

Esse post hoje vai para as pessoas que tem o pensamento que eu tinha, de sempre esperar um momento especial. Estamos no primeiro dia do ano, do mês e da semana. Quer dia mais especial que esse? Então comece a fazer acontecer faça sim planos, metas, tenha sonhos, mas não os deixem trancados em uma gaveta. Comece a realiza-los agora.

Alguns de vocês estão pensando que determinada coisa precisa acontecer para que vocês deem andamento aos seus projetos, certo? Caso seja esse o seu caso, tente de outras formas, busque outras soluções, procure agir se como esse projeto já tivesse sido concretizado.

Faça você seu 2017…18….19, seu domingo….segunda….terça…..

E uma lição que eu tive na vida: Não espere por ninguém para ser feliz, seja feliz com você mesma.

Feliz 2017

10 profissões mais e menos estressantes

Olá pessoal tudo bem?

Escolher a profissão nem sempre é uma coisa fácil não é verdade? Algumas pessoas parecem que já nasceram com a profissão pré definida, porém a grande maioria precisa decidir uma profissão a seguir. Como eu já disse em outro post, quando gostamos do nosso trabalho nós o realizamos com prazer e aquela tarefa se torna agradável.

Vejamos aqui as 10 profissões mais e menos estressantes de acordo com uma pesquisa realizada pela Forbes no ano de 2016.

profissões

Profissões mais estressantes:

  1. Soldado militar alistado
    Pontuação no estudo: 200.000
  2. General militar
    Pontuação no estudo: 199.000
  3. Bombeiro
    Pontuação no estudo: 198.000
  4. Piloto de avião
    Pontuação no estudo: 197.000
  5. Cozinheiro chefe
    Pontuação no estudo: 196.000
  6. Coordenador de eventos
    Pontuação no estudo: 195.000
  7. Executivo de relações públicas
    Pontuação no estudo: 194.000
  8. Executivo corporativo sênior
    Pontuação no estudo: 193.000
  9. Repórter de jornal
    Pontuação no estudo: 192.000
  10. Agente policial
    Pontuação no estudo: 191.000

 

Profissões menos estressantes

  1. Fonoaudiólogo especializado em audiologia
    Pontuação no estudo: 1.000
  2. Hair stylist
    Pontuação no estudo: 2.000
  3. Joalheiro
    Pontuação no estudo: 3.000
  4. Professor universitário
    Pontuação no estudo: 4.000
  5. Técnico de laboratório médico
    Pontuação no estudo: 5.000
  6. Costureiro
    Pontuação no estudo: 6.000
  7. Nutricionista
    Pontuação no estudo: 7.000
  8. Técnico em registros médicos
    Pontuação no estudo: 8.000
  9. Bibliotecário
    Pontuação no estudo: 9.000
  10. Artista multimídia
    Pontuação no estudo: 10.000

 

Quero somente deixar claro que esta lista pode variar de acordo o local onde ela é realizada. Então gente vamos pensar com muito carinho na nossa profissão para que possamos realiza-la com satisfação e empenho e lembrem-se que o importante é ser feliz na profissão escolhida.

Beijinhos estalados e até a próxima

Reflexão profissional

Você já refletiu sobre sua vida profissional nos últimos dias, semanas ou até mesmo meses? Já parou para pensar se além de te fazer feliz você está desempenhando um bom trabalho?

Essas questões parecem bobas mas são fundamentais para nosso desenvolvimento profissional.

A primeira questão se faz necessária pois muitas vezes nos ligamos no piloto automático sem pensar no que estamos fazendo e a importância dessas ações para nossa vida. Ser feliz no ambiente profissional por vezes parece uma utopia porém para muitas pessoas essa é uma realidade e para que isso aconteça é preciso que nos conheçamos e saibamos quais nossos sonhos e aspirações. O filme Duas vidas retrata parte do que estou falando, tendo em vista que se trata da reflexão da vida sob a ótica do personagem principal quando criança.

Agora observe se aquele seu sonho profissional de criança se concretizou, se foi dada continuidade aquela fantasia profissional adolescente. Creio que grande parte das pessoas em algum momento idealizou uma vida profissional confortável, realizando uma atividade que lhe de prazer.  Caso você esteja no grupo que não realizou seus sonhos profissionais, já se perguntou o que aconteceu? Qual ou quais motivos te levaram a não realização desse sonho? Caso você esteja no grupo que realizou seus sonhos profissionais, como você se sente? Continuou sonhando e realizando ou parou por ai?

Olhemos a vida com os olhos de uma criança, para estes indivíduos é tudo tão fácil e prático. Onde fica complicado? Onde paramos de sonhar?

Creio que um dos problemas da sociedade moderna seja justamente esse, a falta de sonhos. Ou pelo menos a falta de continuidade desses sonhos.

Sei que muitos vão me falar que a vida não está fácil e que temos que aceitar o que aparece. Concordo em partes com essa afirmação tendo em vista que vejo muita oportunidade sendo desperdiçada por parte das pessoas.

Primeiramente precisamos fazer um planejamento do que queremos para pensarmos em qual é a melhor maneira de chegar lá. Com o planejamento em mãos podemos analisar como e quando atingiremos tais objetivos. Em diversos momentos da vida temos que deixar nossos sonhos guardados mas isso não significa que eles devam ser abandonados.

Quando já atuamos em nosso sonho profissional também precisamos refletir sobre ele, necessitamos pensar se o estamos desempenhando de forma a melhorar sempre ou se estamos fazendo o trivial.

A reciclagem profissional é uma excelente oportunidade de mudarmos, melhorarmos, nos aprimorarmos enfim o momento de fazer a diferença, o momento de fazer o que nos faz feliz e não apenas o que aparece.

Sejamos donos das nossas vidas, lutemos por nossos sonhos sejam eles quais forem.

Lembrem-se: você é dono do seu sonho e do seu tempo, use-os ao seu favor.

 

Beijinhos estalados e até a próxima

O preço do precinho

Olá pessoal, hoje vamos falar um pouquinho sobre o famoso precinho. Vejo muito nas redes sociais, em páginas de vendas e trocas, as pessoas fazendo encomendas e sempre pedindo “precinho”. Claro que sei que estamos passando por uma fase difícil da economia, mas mesmo assim precisamos pensar que a partir do momento que pedimos “precinho” estamos desvalorizando o trabalho do profissional que investiu seu tempo e conhecimento confeccionando determinado produto.

Por exemplo para confeccionar um bolo, além dos ingredientes de qualidade, energia e os utensílios necessários é imprescindível a técnica para a confecção do produto além da habilidade da confeitaria que pelo menos ao meu ver isso é um dom…rs quando uma pessoa pede precinho além de desvalorizar o conhecimento desse profissional submete-se também a utilização de produtos de qualidade inferior, pois tem que se ter me mente que a pessoa necessita de um lucro sobre sua venda já que muitas vezes é sua principal fonte de renda.

Quando se dá um preço a determinado produto várias coisas são levadas em conta tais como: investimento financeiro e de conhecimento, tempo gasto na realização da tarefa, utensílios necessários dentre outras variáveis de acordo com o produto ou serviço adquirido. Sendo assim para que essa equação se feche e ainda se obtenha um lucro é importante que todos esses itens sejam colocados na balança e a partir do momento que se pede o “precinho” algum item dessa equação ficará falho.

Indo um pouquinho mais longe com relação a preço, mas importantíssimo de se salientar temos alguns produtos chineses, paraguaios e de outras nacionalidades com preços absurdamente baixos. Alguém já parou para pensar o motivo de preços tão tentadores?  Você deve estar pensando que a culpa são dos impostos brasileiros, certo? Bom em partes essa afirmação é correta, porém, além disso, temos que levar em conta as condições de trabalho desses profissionais. Por diversas vezes é mostrado na televisão sobre a escravidão (mesmo que velada) não só na China, mas como em diversos países incluindo o Brasil. Essas condições de trabalho sub-humanas faz com que esses funcionários muitas vezes tenham salários (quando tem) baixíssimos mantendo assim o lucro do patrão e o “precinho” pedido por tantas pessoas.

Muito se fala em como é caro manter um funcionário aqui no Brasil devido aos impostos sobre este profissional, mas já pararam para pensar o que seria de nós sem esses direitos garantidos pela CLT? Já se deram conta que existem países, como os Estados Unidos e a Índia, que não existe número mínimo de dias para férias do trabalhador e na China são 5 dias de férias por ano?

Quero deixar bem claro que concordo sim que existem profissionais querendo lucrar uma quantia exorbitante em cima de seus produtos e serviços principalmente quando seu produto é sazonal ou escasso e concordo também que os impostos cobrados no Brasil são ridículos de tão altos, porém com esse post somente quis abrir um pouco a mente de vocês para a discussão sobre a valorização profissional e formação de preço.

E lembrem-se quando você pede precinho para alguém, outra pessoa pode pedir precinho para você também.

E aí quem está com disposição a pagar essa conta?

 

Beijinhos estalados e até a próxima

 

Vida profissional no pós parto

 

Acredito que a última coisa que as mães estão pensando no pós-parto é sobre a vida profissional, mas porque não pensar nisso?

Antes que eu seja bombardeada de criticas peço que, por favor, pensem no assunto só um pouco.

O pós-parto é uma fase de adaptação mamãe-bebê, mamãe-mamãe e mamãe- companheiro (a) é um turbilhão de acontecimentos, sentimentos, aprendizados que às vezes ficamos até tontas não é mesmo? Acredito que um sentimento que está sempre presente na vida da recém-mamãe é a culpa, queremos fazer mil coisas ao mesmo tempo, queremos ser perfeitas em tudo, mas sabemos que isso não é possível.

Em primeiro lugar devemos aceitar que não somos perfeitas, mas que somos as melhores mães para nossos bebês, em segundo devemos pensar que ao realizar alguma coisa para nós mesmas enquanto mulheres e profissionais não seremos menos mães por causa disso. Alias permitam-me abrir um espaço para essa patrulha das mães perfeitas do facebook que só servem para nos colocar para baixo, mas isso será tratado em outro post.

Durante o período da nossa licença temos dias maravilhosos outros nem tanto, o importante é que façamos o melhor que pudermos e sim nossos bebês sabem o quanto nos esforçamos por eles.

Vou dar um depoimento aqui de acordo com a minha realidade, cada pessoa tem a sua e isso não cabe a mim nem a ninguém julgar.

Lembram que eu falei no post Terrorismo contra as grávidas que as pessoas me falavam que depois do nascimento da Valentina eu nunca mais ia dormir? Então isso não aconteceu…rs a Valentina dorme a noite inteira desde 1 mês e meio, sei que sou uma mãe privilegiada mas como falei estou dando depoimento sobre a minha realidade. Pois bem, a Valentina é uma bebê bastante dorminhoca e passado o primeiro mês (adaptação total) eu pensava que eu podia fazer alguma coisa por mim no período em que ela estivesse dormindo, mas ao mesmo tempo eu me culpava, como uma recém-mãe está pensando em si mesma e não no bebê ( voltemos aos tema culpa e patrulha das mães perfeitas do facebook)? Até que chegou o momento que pensei comigo mesma, quando estou me sentindo bem comigo mesma realizo melhor todas as tarefas então parei de dar atenção para a patrulha e fui ver a minha realidade e vontade. Então resolvi agir.

Primeiramente fui buscar na internet sites de cursos on line (veja o post sobre Atualização profissional – Cursos on line ) e iniciei meus estudos, comecei com 30 minutos diários. Enquanto a Valentina dormia no período da tarde e aproveitei para realizar os cursos. Pensar em 30 minutos diários parece pouco, mas eu acredito que quando se trata de estudo, o pouco é melhor do que nada. Então continuei com minha rotina de estudo e ao final do primeiro mês de estudo eu já estava com uma certificação. Isso me animou bastante e consegui aumentar minha carga horária para uma hora por dia. Para alguns parece pouco, mas para mim são 30 horas de estudos por mês, são 30 horas de atualização profissional que tenho, são 30 horas de conhecimentos adquiridos então fiquei muito satisfeita com esses primeiros resultados e pretendo continuar sempre que a Valentina me permitir…rso falar agora em especial para as mães que por diversos motivos não conseguem ter esse momento de estudo, por favor, não se sintam mal. Cada realidade é única e esse foi um depoimento pessoal e só quis alertar para as mães que possuem esse tempo que é possível sim se manter antenada com o mercado de trabalho sem que elas sejam menos mães como algumas pessoas gostam de falar.

 

Beijinhos estalados e até a próxima