Hábitos profissionais ruins

Olá pessoal tudo bem? Vocês já pararam para pensar nos hábitos de vocês?

Os hábitos são ações que realizamos de forma repetitiva e muitas vezes de forma automática. São exemplos de hábitos do nosso cotidiano: realizar nossa higiene pessoal, nosso trajeto até o ambiente de trabalho, dependendo do seu ramo de atividade até nosso trabalho é realizado através do hábito.

Como tudo na vida temos hábitos bons e ruins. Primeiramente vamos deixar claro que os hábitos podem ser mudados de acordo com nossa vontade e/ou necessidade, é verdade que nem sempre essa tarefa é fácil, mas com persistência é possível.

Hoje vamos focar em alguns hábitos que acabam sendo prejudiciais no âmbito profissional, atitudes essas que muitas vezes é realizada de forma tão automática que impedem o crescimento profissional do individuo sem que ele perceba.

Vou listar desses alguns hábitos que impedem a ascensão profissional

  1. Reclamam da 2ª feira e torcem pela sexta – Peço que nesse item não me levem a mal, eu também adoro passar meu tempo livre com a minha família. A questão aqui é para algumas pessoas a atividade laboral se torna um fardo tão grande que quando a segunda feira se aproxima é até motivo para crises de ansiedade.
  2. Ser desorganizado – No ambiente profissional, a organização é uma qualidade muito importante. A partir do momento que o colaborador não realiza suas atividades com mínima organização ele pode prejudicar o andamento das tarefas a ser realizada pelos demais profissionais.
  3. Procrastinação – Aquele lema de deixar tudo para depois é um dos piores hábitos que se pode ter dentro do ambiente corporativo. Como o mundo anda bastante acelerado precisamos que as tarefas sejam realizadas em um curto período de tempo para que assim sejamos mais produtivos.
  4. Uso excessivo das redes sociais – Nesse item entram 2 hábitos: primeiro aquelas pessoas que se utilizam das redes sociais para desabafar problemas corporativos, ou falar mal da empresa e do chefe e no segundo caso é o uso das redes sociais no horário de trabalho. É nítido que a rede social se tornou um tomador de tempo, muitos funcionários “esquecem da vida” enquanto estão entretidos em seus celulares ou trocando mensagens muitas vezes sem necessidade naquele momento.
  5. Fofoca com demais colaboradores – A fofoca é um veneno em qualquer lugar mas no ambiente profissional ela pode tomar proporções que fogem do controle das pessoas que iniciaram o boatos. Caso uma pessoa queira lhe contar uma fofoca simplesmente pare essa pessoa e diga-lhe que esse tipo de assunto não lhe interessa.
  6. Medo de novos desafios – No nosso cotidiano os desafios são lançados diariamente para que nos superemos. Algumas pessoas simplesmente querem que as coisas permaneçam exatamente iguais. Quando lhes é proposto algum desafio, o medo não pode sobrepor a oportunidade de crescimento. Tem medo do desafio? Inicio com coisas simples e depois parta para desafios maiores mas não fique estagnado.
  7. Acreditar apenas na sorte – Para algumas pessoas todo e qualquer ganho ou destaque de outra pessoa vem da sorte que ela tem na vida. Infelizmente algumas pessoas acreditam que não é preciso lutar para conseguir o que se quer, acreditam que quem conquistou um posto mais alto ou o salário dos sonhos está lá por causa da sorte e não dos próprios méritos. Não caia nessa cilada, lute pelos seus objetivos e colha seus próprios louros.

 

Pessoal como disse no começo desse post as mudanças não são fáceis mas elas podem ser bastante gratificante. Se você não estiver satisfeito com os resultados que tem obtido na sua vida, que tal tentar mudar as atitudes? Só depende de nós mesmos.

Beijinhos estalados e até a próxima.

 

 

Anúncios

A escolha da escola

Olá pessoal, tudo bem?

Vamos falar hoje sobre a difícil tarefa de escolher a escola na qual seu filho vai ficar.

Primeiramente vem a pergunta, por que essa tarefa é tão difícil? Respondo a vocês, ela é difícil a princípio pelo lado emocional de saber que outras pessoas cuidarão do seu bem mais precioso. Esta é uma fase de mudanças, a fase da separação mesmo que momentânea e por um curto espaço de tempo nunca é fácil. Mil coisas passam pela nossa cabeça e para piorar sempre vem os pitacos que algumas pessoas insistem em dar mesmo quando não solicitado.

Mas vamos lá ao que tem que ser observado para escolher a escola ideal (lembrando que a escola ideal é aquela que mais se parece com as crenças e valores da família, ou seja, o ideal para você pode não ser para outra pessoa).

Indicação é um ponto a ser considerado, quando temos referências sobre o lugar já podemos contar como um ponto positivo para a escola. Afinal não existe propaganda melhor que o boca a boca.

Limpeza: esse é um dos fatores fundamentais a serem verificados e não tenha medo ou vergonha de ser chata, lembre-se sempre que seu filho passará uma boa parte do dia naquele ambiente. Ao entrar na escola peça para conhecer todos os ambientes e fique bastante atenta a limpeza, organização e segurança de cada ambiente. Quer um teste simples mas importante? Peça para ir ao berçário, lá é de extrema importante que seja solicitado para que você tire o sapato ou utilize o pro pé para evitar que seu sapato entre em contato com solo, esse teste é importante porque no berçário os bebês estão na fase colocar a mão na boca agora imagine o bebê engatinhando no mesmo chão que você pisou com seu sapato que veio da rua.

Qualificação dos profissionais: hoje em dia muita gente ainda acredita que a escola só serve para a criança ficar enquanto o responsável trabalha.  A escola além dos cuidados básicos tem que oferecer estimulação desde a mais tenra idade e para isso são necessários profissionais qualificados para que esse momento seja feito de acordo com a idade da criança.

Proposta pedagógica: os pais geralmente tem bastante dúvida quanto a melhor proposta pedagógica para seu filho e isso realmente é bastante pessoal. Como falei anteriormente pesquise sobre o tema e sempre peça ajuda para algum profissional da área da educação para auxiliá-lo nessa escola. Apenas uma dica básica, desconfie daquelas escolas que possuem muitos projetos principalmente para os bebês. Sabemos que infelizmente alguns desses projetos são inviáveis e incompatíveis com a idade da criança. Por incrível que parece já escutei relatos de pessoas bem próximas que a atividade do filho foi nitidamente realizada pela professora, ou seja, a atividade não teve significado nenhum para a criança.

Preço X qualidade: o que determina a qualidade de uma instituição de ensino não é o preço que ela cobra. Ainda hoje existe a crença que escola boa é escola cara. Observe se tudo o que a escola oferece é realmente útil. Ao procurar escola para a Valentina, uma determinada escola cobrou um valor muito próximo ao meu salário do mês e quando fui ver as atividades oferecidas percebi que todas as aulas extras já estavam inclusas na mensalidade, agora me digam pra que eu ia pagar por atividades que ela não ia realizar?

Horários: com a vida atribuladas que temos e horários diferenciados, observe se a escola lhe atende nesse quesito. Aqui em Santos tem escola que fica aberta das 6h as 21h e o responsável faz a matrícula de acordo com sua necessidade de horário e quantidade de horas. Outro ponto relevante no quesito horário é com relação a emenda de feriado, aqui em Santos das escolas que eu pesquisei somente uma escola trabalha sob o regime de escala nas emendas de feriados. Afinal não é todo mundo que tem a flexibilidade no ambiente de trabalho de estender a folga.

Espaço físico e instalações: Esse item é bastante importante, pois ele irá contribuir ou não para a estimulação e segurança do seu bebê. No caso de berçário, observe a distância entre os berços, tipo de piso, local de alimentação, se o banheiro possui piso antiderrapante etc. No parque, observe se ele é aberto e qual procedimento da escola em caso de longos períodos de chuva ou incidência de sol muito forte. Observe se não há fiação exposta, se as tomadas são protegidas, se não infiltração e/ou mofo. Veja também se os ambientes são arejados e como é feito o controle de temperatura em dias muito frios ou muito quentes.

Eu sei que a principio parece muita coisa a ser observada não é mesmo? Mas pense na importância dessa decisão. Além do olhar pedagógico que eu tive ( não teve como deixar a pedagoga de lado….rs) segui a minha intuição. Como dizem os mais velhos, intuição de mãe não falha e nesse caso realmente ela funcionou, sou muito satisfeita com a escola da Valentina em todos os aspectos.

Então vamos lá correr atrás do melhor para nossos pequenos.

Beijinhos estalados e até a próxima!

Postura profissional

Olá pessoal tudo bem? Vamos falar hoje sobre postura profissional?

Muito se fala sobre postura profissional, porém parece que ainda restam muitas dúvidas acerta desse tema. Primeiro vamos falar sobre o significado de postura profissional, são atitudes que se espera que se tenha dentro do ambiente de trabalho.

Creio que é importante deixar claro que para cada organização há um tipo de conduta esperada, algumas possuem regras mais rígidas em contrapartida algumas com regras mais flexíveis. Mas a primeira dúvida que paira na cabeça das pessoas é: Qual tipo de postura determinada empresa espera de mim? Começamos a responder essa pergunta no momento da candidatura para uma possível vaga.

É necessário que se estude sobre a empresa. Sim, leia o máximo que conseguir, pesquise sobre e se possível fale com funcionários para que assim caso você seja selecionado para a entrevista você já saiba que postura é esperada.

Independente do tipo de organização tenhamos em mente uma coisa, não é porque a empresa é mais flexível quanto as regras de conduta que podemos achar que não precisamos de portar adequadamente.

Vou dar agora algumas dicas que são fundamentais independente do tipo de organização.

  1. Seja pontual.

A pontualidade é uma qualidade importantíssima no mundo corporativo. Hoje em dia temos tantos compromissos que um único atraso na nossa agenda pode acarretar prejuízos ao longo do dia e, além disso, pontualidade é sinônimo de responsabilidade.

  1. Educação

Parece uma dica obvia não é mesmo? Mas observamos muitas pessoas que dão total atenção aos altos cargos da empresa, porém não cumprimentam o porteiro. A educação abre portas em qualquer lugar. As palavras, por favor, com licença e obrigada nunca saem de moda.

  1. Cuide da aparência

Você não precisa ser um robô e se vestir igual a todo mundo, imprima toques da sua personalidade, mas sem exageros. Deixe aquela blusa decotada e aquela minissaia para outro momento. Aqui a pesquisa sobre a empresa se faz bastante importante.

  1. Fique atento as palavras

Gírias e palavrões não são bem vistos no ambiente corporativo. Já vi muitas pessoas justificarem o fato de falar palavrões alegando que seus chefes também o fazem. Vamos partir do princípio que cada um é responsável pelos seus próprios atos. E mesmo que uma atitude errada seja repetida mil vezes ela continuará errada.

  1. Redes sociais

Cuidado com o uso das redes sociais. Muitas pessoas as usam para desabafar algum problema ocorrido na empresa, mas vamos combinar que isso além de não adiantar nada somente depõe contra você mesmo. Frases como, “eu odeio segunda feira” e aqueles clamores pelo final de semana também devem ser evitados.

  1. Língua portuguesa

Atenção máxima na hora de falar e/ou escrever. Erros de português são simplesmente imperdoáveis em algumas organizações.

  1. Demonstre interesse

Demonstre interesse a tudo o que se refere à organização, você nunca sabe quando vai surgir aquela oportunidade que você está esperando.

  1. Se empenhe

Não se empenhe apenas para ser visto pelo chefe, mas faça o seu trabalho valer a pena. Orgulhe-se do que você faz.

  1. Pare de procrastinar

Aquele velho lema de “porque fazer agora o que eu posso fazer depois” está bastante ultrapassado. Faça o que tem que ser feito e caso lhe sobre tempo, use-o de maneira útil dentro da organização.

  1. Seja companheiro

Trabalhar com determinadas pessoas às vezes nos parece uma tarefa bastante difícil, porém temos que pensar no nosso objetivo dentro da organização e independente de questões pessoais estamos ali para dar o nosso melhor.

Espero que essas dicas tenham sido úteis para o profissional de vocês. Lembrem-se sempre e em qualquer situação de usar o bom senso. Ele sempre é o melhor remédio.

 

Beijinhos estalados e até a próxima

 

 

 

 

O desapego

O desapego

Porque é tão difícil desapegar? Desapegar de coisas, de amores, de períodos, de emoções…

Temos tanto apegos na nossa vida que é extremamente difícil elencar todos eles. Mas de onde vem essa dificuldade em fazer o caminho oposto?

O ser humano de um modo geral tem muita dificuldade em mudar, e não digo isso no sentido de mudar o que está tudo bem mas mudar até mesmo o que lhes faz mal.

 

Quem nunca teve uma amiga que está em um relacionamento tóxico e nós demos o precioso conselho: -Ah amiga larga dele, seja mais você… ou quantas vezes nós escutamos esse mesmo conselho sendo que a resposta era sempre a mesma: – Quero muito largar meu eu não consigo.

Essa cena vista de fora largar o que nos faz mal parece uma atitude bem obvia a ser tomada, porém não é tão simples quanto parece.

A mudança nos gera medo e ansiedade, o ciúme e o sentimento de posse nos faz querer que as coisas e pessoas estejam sempre ao nosso redor. Quando nos deparamos com alguma pessoa “desapegada’ nos surpreendemos, mas essa surpresa muitas vezes vem com sentimento de admiração pois queríamos ser assim em diversos momentos de nossa vida mas o tal do apego fala mais alto.

Algumas pessoas periodicamente tem o costume de fazer uma faxina geral no guarda roupa, em casa e até mesmo nas redes sócias. Esses momentos são de grande valia pois além de deixar nas lembranças determinadas épocas, abrimos espaço para o novo. A novidade assusta mas ao mesmo tempo ela é o combustível da vida.

Imagina se a sua vida fosse exatamente igual todos os dias, semanas, meses e anos. Qual a graça que teria viver?

Não estou dizendo que é fácil, e não entendam isso como uma crítica. Esse post é apenas uma reflexão sobre as atitudes cotidianas que nós temos e que podemos mudar.

Conheça um lugar novo, uma pessoa nova, um livro novo, doe coisas que você não usa. De a oportunidade dessas coisas fazerem bem a outras pessoas, crie novas histórias. Tem muito medo? Comece devagar, veja seu armário de maquiagem você realmente usa tudo o que está ali? Que tal dar aquele batom que ficaria lindo na sua irmã, amiga, mãe? Aos poucos vá fazendo uma limpeza geral na sua vida. Te garanto que vai ser libertador.

Hoje em dia carregamos uma bagagem muito pesada e difícil de carregar, mas ao desapegarmos de algumas coisas ou deixar tudo em seu devido lugar ( o que é passado fica no passado e o que é futuro aguardemos a chegada) nossa própria carga fica mais leve e damos mais espaço para as novidades e olha que estas podem nos surpreender.

 

Beijinhos estalados e até a próxima

Retorno ao trabalho após a licença maternidade

Olá pessoal tudo bem? Hoje vim falar de um assunto que aflige e gera ansiedade em muitas famílias.

Durante 4 ou 6 meses (depende da empresa) você ficou grudadinha com o seu bebê não é mesmo? Aquela fase gostosa de descobertas e aprendizados infinitos, mas infelizmente ela chegou ao fim e estamos no momento de decidir onde nosso bem mais precioso ficar no momento em que estivermos trabalhando.

No caso das mamães de primeira viagem creio que essas dúvidas sejam ainda maiores até mesmo pela falta de experiência.

Vou falar um pouco sobre a minha opinião pessoal e os prós e contras de algumas opções. De antemão digo que a Valentina foi para uma escola de educação infantil particular (daqui a pouco explico o motivo de ter ido para uma escola particular) faltando uma semana para ela completar 5 meses de vida.

Vou começar falando sobre a mamãe e como lidar com essa separação, após esse período tão intenso realmente é difícil esse retorno ao mundo extra maternal ( embora eu já tenha falado aqui sobre a vida profissional no pós parto). Quando vai chegando o momento do retorno as atividades profissionais a ansiedade aumenta e um mix de sentimento passa a tomar conta dessa mãe. Dúvidas tais como: se cuidarão do seu filho bem, se ele vai sofrer com a sua ausência, como você ficará longe daquele serzinho que te acompanhou durante alguns meses  são bastante frequentes mas tenha sempre em mente que independente de onde você resolva deixar seu filho, essa pessoa se esforçará ao máximo para que ele fique sempre bem e se desenvolva.

Bom…vamos as opções:

A vovó

Ah o amor de vó!!! Eita amor gostoso não é mesmo. Ela certamente tem além de muito amor, ótimas intenções, experiência e muita sabedoria para lidar com o netinho. Porém como nem tudo são flores, ao escolher a vovó para cuidar do nosso bebê existem alguns pontos que temos que levar em consideração para que não haja conflitos sem necessidade posteriormente. Primeiramente qual das duas avós cuidará do bebê? Outro ponto importante é: e se o cônjuge discordar de como a vovó cuida da criança? O terceiro ponto mas não menos importante, caso vocês no decorrer do tempo optarem por outro tipo de cuidado como ficaria a relação entre vocês?

Uma babá

A babá se torna uma boa opções quando a avó ou algum familiar seja impossibilitado de cuidar do bebê. Com o passar do tempo essas profissionais passam a fazer parte do núcleo familiar. Caso opte por uma profissional não deixe verificar se a mesma possui conhecimentos sobre o desenvolvimento infantil, se é qualificada e se possível verificar se a mesma tem referências. Hoje em dia existem algumas empresas de babás onde os serviços são terceirizados e caso haja algum problema a profissional é trocada.

Creche pública

Chegou o momento de contar o motivo da Valentina estar em uma creche particular, simplesmente o horário. Aqui na cidade de Santos, as creches publicas tem como regra a saída das crianças acontecer as 16h40 com tolerância até 17h15. Como eu trabalho até 17h30 e em dois dias da semana trabalho até as 19h esse horário é totalmente inviável. Se não fosse esse único porém em minha vida eu a deixaria em uma creche municipal sem problema nenhum.

Trabalhei quase 12 anos em creche, em diferentes setores, embora eu saiba que nem todas as creches são iguais e oferecem a mesma estrutura eu tive outra visão deste ambiente. Antigamente as creches eram depósitos de crianças onde não se havia uma estrutura nem uma parte pedagógica envolvida. Hoje em dia esse cenário mudou, as creches estão recebendo uma estrutura cada vez melhor e estão contratando profissionais qualificados, isso sem contar a fiscalização periódica que são realizados nesses ambientes para que sejam garantidos os direitos das crianças.

Pelo menos aqui em Santos e em Praia Grande (cidade a qual eu trabalhei) os pais antes de matricular seus filhos podem conhecer a creche internamente, bem como conhecer a proposta e toda a parte pedagógica. Caso opte pela creche, no próximo post falarei mais sobre quais pontos são importantes de serem observados na escolha da escola.

Creche particular

Os benefícios da creche particular são os mesmos da creche publica com exceção que algumas creches particulares não emendam feriados facilitando assim a vida das mães que também não. Hoje em dia aumentou bastante a oferta desse tipo de serviço facilitando a vida dos pais, pois assim eles podem escolher uma escola que se adeque a sua rotina bem como sua filosofia de vida. O horário das creches particulares podem ser flexíveis também ( quando eu entro mais tarde no trabalho a Valentina também entra).

Como eu disse acima, no próximo post falarei sobre os principais pontos a serem observados na hora de escolher a escola ou creche que seu filho vai ficar.

Espero ter ajudado um pouco nessa escolha tão difícil num momento como esse, mas tenham em mente que independente do lugar e/ou pessoa escolhida esta precisa ser de sua confiança e você precisa se sentir segura na sua decisão. Caso ainda restem dúvidas entrem em contato pelo e-mail ou pelo face do blog ou então pesquisem mais sobre o assunto até que se sintam plenamente seguras na decisão.

 

Beijinhos estalados e até a próxima.

.

 

 

O ano começa agora

Há quem diga que no Brasil o ano somente inicia após o carnaval, se você realmente acredita nisso é uma pena pois se vão quase dois meses de oportunidades profissionais.

No mundo do trabalho não existe essa história de começar o ano após determinado período ainda mais em uma época tão difícil economicamente como a que estamos vivendo.

Enquanto algumas empresas ainda estão em recesso ou férias coletivas, que tal realizar um curso de atualização? Que tal dar aquela revisada no currículo para mantê-lo sempre em ordem?

São inúmeras as oportunidades que acontecem diariamente, são cursos, palestras, vídeo aulas, livros ou seja, não podemos ficar parados esperando que as coisas caiam do céu.

Pensem como seria e é em alguns casos interessante que usássemos toda essa energia que recebemos após as festas de fim de ano, todas essas vibrações boas e as colocássemos em prática. Esperar o carnaval para mostrar o profissional que você é só reforça que você é só mais um dentro da organização. Precisamos nos mostrar diariamente, precisamos sempre de uma reciclagem para agregarmos valor a nós mesmos.

O mundo está sempre em constante mutação e justamente por esse motivo precisamos acompanhar essas mudanças ou nos tornaremos obsoletos. Sei que gerenciar casa/trabalho/filhos/vida social não é uma tarefa fácil e que necessita de uma organização fora do comum mas sempre precisamos tirar um tempo para nós mesmos e o mais importante precisamos aprender a priorizar.

Na era da informação e da rapidez, onde tudo é para ontem, a necessidade de priorizar as atividades se faz cada mais necessária, eu me arrisco a dizer que é imprescindível.

Pense em que tipo de profissional você quer ser, estabeleça metas, crie prioridades e principalmente inicie seus projetos.

Lembrem-se: “ Projetos na gavetas não fracassam, mas também não decolam.”

 

Beijos estalados e até a próxima.

E chegou 2017…

Para algumas pessoas o início de um ano novo representa esperanças de uma vida nova, para outras apenas uma passagem de um dia para o outro.

Seja lá qual for o seu caso, se tem algo que não lhe agrada chegou a hora de mudar. Sinceramente tenho um pouco de dificuldade de entender o motivo de somente haver confraternizações no final do ano. Se o intuito desses encontros é aproximar pessoas porque só no final do ano essa iniciativa acontece?

O que realmente precisamos é parar de tentar encontrar motivos externos para realizarmos algumas ações. Vejo pessoas fazendo diversas promessas de ano novo, mas que não duram nem até o carnaval, marcando encontros que nunca acontecem,  dizendo que perdoam sem realmente o fazer, mas tudo em nome do espírito natalino e para “fechar o ano” com saldo positivo.

Mas a questão é: Até quando? Iniciei 2016 com diversos planos, sonhos, metas das quais confesso a vocês que não realizei da maneira que eu gostaria e posso afirmar categoricamente que a culpa disso foi minha mesma. Sempre tive essa mania de deixar para depois, deixar para uma data especial, deixar para a próxima segunda feira, mas infelizmente aprendi que esse momento pode simplesmente não chegar.

Esse post hoje vai para as pessoas que tem o pensamento que eu tinha, de sempre esperar um momento especial. Estamos no primeiro dia do ano, do mês e da semana. Quer dia mais especial que esse? Então comece a fazer acontecer faça sim planos, metas, tenha sonhos, mas não os deixem trancados em uma gaveta. Comece a realiza-los agora.

Alguns de vocês estão pensando que determinada coisa precisa acontecer para que vocês deem andamento aos seus projetos, certo? Caso seja esse o seu caso, tente de outras formas, busque outras soluções, procure agir se como esse projeto já tivesse sido concretizado.

Faça você seu 2017…18….19, seu domingo….segunda….terça…..

E uma lição que eu tive na vida: Não espere por ninguém para ser feliz, seja feliz com você mesma.

Feliz 2017