Vida profissional no pós parto

 

Acredito que a última coisa que as mães estão pensando no pós-parto é sobre a vida profissional, mas porque não pensar nisso?

Antes que eu seja bombardeada de criticas peço que, por favor, pensem no assunto só um pouco.

O pós-parto é uma fase de adaptação mamãe-bebê, mamãe-mamãe e mamãe- companheiro (a) é um turbilhão de acontecimentos, sentimentos, aprendizados que às vezes ficamos até tontas não é mesmo? Acredito que um sentimento que está sempre presente na vida da recém-mamãe é a culpa, queremos fazer mil coisas ao mesmo tempo, queremos ser perfeitas em tudo, mas sabemos que isso não é possível.

Em primeiro lugar devemos aceitar que não somos perfeitas, mas que somos as melhores mães para nossos bebês, em segundo devemos pensar que ao realizar alguma coisa para nós mesmas enquanto mulheres e profissionais não seremos menos mães por causa disso. Alias permitam-me abrir um espaço para essa patrulha das mães perfeitas do facebook que só servem para nos colocar para baixo, mas isso será tratado em outro post.

Durante o período da nossa licença temos dias maravilhosos outros nem tanto, o importante é que façamos o melhor que pudermos e sim nossos bebês sabem o quanto nos esforçamos por eles.

Vou dar um depoimento aqui de acordo com a minha realidade, cada pessoa tem a sua e isso não cabe a mim nem a ninguém julgar.

Lembram que eu falei no post Terrorismo contra as grávidas que as pessoas me falavam que depois do nascimento da Valentina eu nunca mais ia dormir? Então isso não aconteceu…rs a Valentina dorme a noite inteira desde 1 mês e meio, sei que sou uma mãe privilegiada mas como falei estou dando depoimento sobre a minha realidade. Pois bem, a Valentina é uma bebê bastante dorminhoca e passado o primeiro mês (adaptação total) eu pensava que eu podia fazer alguma coisa por mim no período em que ela estivesse dormindo, mas ao mesmo tempo eu me culpava, como uma recém-mãe está pensando em si mesma e não no bebê ( voltemos aos tema culpa e patrulha das mães perfeitas do facebook)? Até que chegou o momento que pensei comigo mesma, quando estou me sentindo bem comigo mesma realizo melhor todas as tarefas então parei de dar atenção para a patrulha e fui ver a minha realidade e vontade. Então resolvi agir.

Primeiramente fui buscar na internet sites de cursos on line (veja o post sobre Atualização profissional – Cursos on line ) e iniciei meus estudos, comecei com 30 minutos diários. Enquanto a Valentina dormia no período da tarde e aproveitei para realizar os cursos. Pensar em 30 minutos diários parece pouco, mas eu acredito que quando se trata de estudo, o pouco é melhor do que nada. Então continuei com minha rotina de estudo e ao final do primeiro mês de estudo eu já estava com uma certificação. Isso me animou bastante e consegui aumentar minha carga horária para uma hora por dia. Para alguns parece pouco, mas para mim são 30 horas de estudos por mês, são 30 horas de atualização profissional que tenho, são 30 horas de conhecimentos adquiridos então fiquei muito satisfeita com esses primeiros resultados e pretendo continuar sempre que a Valentina me permitir…rso falar agora em especial para as mães que por diversos motivos não conseguem ter esse momento de estudo, por favor, não se sintam mal. Cada realidade é única e esse foi um depoimento pessoal e só quis alertar para as mães que possuem esse tempo que é possível sim se manter antenada com o mercado de trabalho sem que elas sejam menos mães como algumas pessoas gostam de falar.

 

Beijinhos estalados e até a próxima

Receitinha do dia – Bolo prático de chocolate

Bolo prático de chocolate

Ingredientes

2 xícaras de açúcar

3 xícaras de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

4 colheres de chocolate em pó

3 ovos

3 colheres de sopa de manteiga

1 xícara de leite

 

Modo de fazer

Misture todos os ingredientes e bata-os na batedeira. Asse em forno pré aquecido em 180 graus por 40 min.

 

Dica da Isabel 1: Peneire todos os ingredientes secos ao colocar na batedeira, isso deixará seu bolo mais fofinho.

Dica da Isabel 2: Coloque na batedeira primeiramente todos os ingredientes secos e depois os molhados, isso evitará o levantamento de pó desses ingredientes.

Um pouco dos meus 30 anos

Ah os 30 anos!!!

Aos 10 ele parecia tão distante quase uma eternidade, aos 20 parecia um futuro não muito próximo, aos 25 sua sombra já está perto e quando ele finalmente chegou todo esse mistério foi desvendado. Que mistério é esse que estou falando? O mistério que envolve uma mulher com 30 anos e todo o seu poder.

Com 20 anos eu acreditava que aos 30 já estaria casada, seria muito bem sucedida profissionalmente e talvez até a espera do meu primeiro filho. De toda essa expectativa sabe o que se concretizou? Absolutamente nada…rss

Dizem que a vida começa aos 40, bom não sei por que não cheguei lá ainda, mas confesso que a vida aos 30 tem sido maravilhosa!

Vou falar um pouco da expectativa e da realidade. Ao terminar o ensino fundamental resolvi fazer magistério, afinal meu sonho de criança era ser professora. Logo após o término do magistério passei em um concurso público para professora recreacionista ao mesmo que realizava a faculdade de pedagogia. Meu sonho se concretizando, logo após terminar a faculdade passei em outro concurso público, mas dessa vez para sala de aula, finalmente a realização do sonho, mas a realidade não é bem assim. Ser professora é sim uma profissão maravilhosa, mas extremamente desvalorizada no Brasil e com o tempo fui perdendo o gosto pelo magistério e criando gosto pela parte administrativa da escola foi quando decidi fazer mais uma graduação, desta vez em administração de empresas. Formei-me, atuei como coordenadora pedagógica por cinco anos e quando estava completando 12 anos de serviço público resolvi pedir exoneração e partir para o trabalho em uma empresa privada.

Na época fui chamada de louca entre tantos outros adjetivos que prefiro não comentar, mas o mais importante eu tinha que era o apoio da minha família. Confesso a vocês que não me arrependi nem por um segundo dessa decisão, eu parto do princípio que se você não está feliz com algo você deve mudar e assim o fiz mudei de carreira nos tão esperados 30 anos. O medo existe sim, mas a vontade de ser feliz era maior então encarei a aventura.

Item dois da minha lista de sonhos, o casamento. Aos 30 anos eu tinha um namoro que eu já observava que não ia me levar a lugar nenhum então percebi que eu não precisava estar namorando, noiva ou casada para ser feliz. Vi que primeiro precisava ser feliz comigo mesma para assim estar feliz ao lado de outra pessoa. A sociedade cobra muito uma mulher de 30 anos que não casou com comentários tais como: “Vai ficar pra titia hein” ou então “ Tão bonita, não sei porque não arruma um namorado” e outros tipos de comentários totalmente desnecessários mas enfim eu não dava muita atenção pois estava muito bem comigo mesma.

E em terceiro, mas não menos importante na minha lista de prioridades vinha a maternidade. Durante algum tempo eu não quis ter filhos, muitas pessoas achavam absurda a minha falta de vontade. Fui bastante criticada como se isso fosse a pior coisa do mundo, mas eu estava tão bem com a minha decisão que não ligava para a opinião das pessoas aliás, um dos benefícios da idade é a maturidade de não ligar para o que os outros pensam.

E como foi a reviravolta na minha história? Em 2013 ao completar 30 anos estava tão bem comigo mesma que as coisas começaram a fluir, consegui o emprego que eu queria, comecei a namorar o homem que se transformou no meu marido e aos 32 anos ganhei uma linda princesa chamada Valentina de presente.

Com toda essa história descobri algumas coisas:

– expectativa demais gera decepção demais;

– para você ser feliz com outra pessoa você precisa aprender a ser feliz sozinho;

– se você não mudar o que te faz mal, ninguém irá mudar por você e aquilo te fará mal para sempre;

– a vida é muito curta para ser desperdiçada.

Então pessoas lindas, olhem para vocês e se amem em primeiro lugar. Mexam-se e corram atrás dos seus sonhos.

Beijinhos estalados e até a próxima 😉

 

 

 

Terrorismo contra as grávidas

Olá gravidinhas tudo bem? O post de hoje é para vocês e para aquelas pessoas sem noção que fazem o chamado “terrorismo contra as grávidas”.

Todos sabem que a notícia da gravidez por mais que seja esperada sempre causa um turbilhão de emoções na futura mamãe, e junto com esses sentimentos começam os palpites e o terror.

Quando descobri que estava grávida da Valentina além dos parabéns ouvi muito “ – dorme agora porque  você nunca mais vai dormir”, “ – agora você não vai ter tempo pra nada”, “ – nossa!!! Ela vai nascer em janeiro? Você vai inchar muito!!!” ouvi também sobre todas as dificuldades da maternidade. Nesse momento me perguntei qual é o lado bom de ser mãe? Se é tão ruim porque as pessoas tem mais de um filho? Se todas passaram por isso porque continuam fazendo esse terror?

Gente me senti tão assustada que eu nem queria mais contar que estava grávida só para não ouvir esses tipos de comentários. Eu também não entendia porque as mulheres que com certeza passaram por isso continuam fazendo isso com as outras.

A maternidade tem suas dificuldades sim, como qualquer coisa na vida, mas também tem o lado maravilhoso de você olhar aquele serzinho indefeso que depende de você. Ver aqueles olhos que nos buscam somente ao ouvir nossa voz.

Uma coisa importante esse post não é somente para as gravidinhas da barriga não, ele vale também para as grávidas do coração. Uma amiga minha que ia adotar uma criança me contou que ela ouviu muitos absurdos enquanto esperava o filho dela. Ouvia que tinha que ser bebê e branquinho já que ela é branca e tinha que ser bebê para não vir com vícios ou “problemas” pré existentes. Ela ouviu que era louca em adotar porque ela não sabia dos costumes daquela pessoa que ia chegar à casa dela.Um absurdo atrás do outro.

Penso que quando não se tem algo bom para falar é melhor ficar calado. Quando engravidamos da barriga ou do coração queremos que nosso filho venha com saúde e estamos prontas para dar a ele todo nosso amor. Independente do tipo de gestação não sabemos como será a personalidade daquele individuo, a única certeza que temos é do amor que temos para dar e da educação e valores que vamos transmitir aos nossos filhos.

Então pessoal vamos parar de somente falar o negativo das coisas, o mundo já está cheio disso. Dificuldades aparecem e nesse momento de fragilidade da pessoa devemos dar nosso apoio e ficarmos deixando as pessoas desesperadas com essa nova etapa da vida dela que é difícil sim, mas ao mesmo tempo é extremamente gratificante. E outro detalhe importante a ser mencionado, cada um tem um jeito de ver e viver a vida, ou seja, o que é dificuldade para você não necessariamente será para a outra pessoa e o que aconteceu com você pode não acontecer ou acontecer de maneira diferente com o outro.

Vamos tem bom senso gente!!

Beijinhos estalados e até a próxima

Receitinha do dia – Chico balanceado

Sabe aquele dia que você quer caprichar na receita para você mesma ou para uma pessoa especial? Então essa receita é fácil de fazer e fica uma delícia!!

Ingredientes

½ kg de açúcar

8 bananas nanica bem maduras

2 ovos

2 copos de leite

2 col de maisena

Gotas de limão

Modo de fazer

Queime o açúcar (sem deixar ficar escuro) e coloque o copo de água, depois as bananas cortadas ao meio, quando mudar de cor desligar o fogo e arrume em um pirex (calda mais ou menos fria) deixar esfriar.

Mingau

Com o leite, a maisena, duas gemas 3 colheres de açúcar ( bate tudo no liquidificador) leva ao fogo para fazer o mingau (deve ficar cremoso) se necessário colocar mais leite, por o mingau em cima das bananas

Cobertura

Bater as claras em ponto de suspiro por algumas gotas de limão e 1 colher de açúcar. Colocar em cima do mingau e levar ao forno para dourar.

Depois de frio colocar na geladeira

 

Beijinhos estalados e até a próxima

O paizão e a mãe

Já me peguei várias vezes pensando no papel do pai na criação de um bebê, vejo nas redes sociais muitas brincadeiras sobre a participação da figura paterna na vida desde pequeno individuo, brincadeiras como “o bebê chora por vários motivos, mas o pai só acha que o bebê chora porque quer mamar”.

Sei que em alguns casos realmente não passa de uma brincadeira, mas infelizmente em muitas casas essa é a realidade.

Quando vejo um pai trocando uma fralda, dando banho, dando a mamadeira, brincando com o bebê eu penso que ele está fazendo a parte dele na criação do bebê, porém observo que muitas pessoas veem esses gestos como atos extremamente honrosos desse pai amoroso. Longe de mim tirar o mérito desse pai mas a questão é: quando a mãe realiza essas mesmas tarefas a sociedade encara como obrigação dela.

Esses dias li um post que fazia um comparativo sobre a mãe solteira e o pai solteiro (apesar de concordar com o papa Francisco que mãe ou pai não é estado civil continuarei utilizando esse termo para melhor entendimento) quando se tratava do pai tinham frases tais como: nossa que pai guerreiro, isso que é homem de verdade, coitado desse homem que está cuidando dos filhos sozinho e outras frases do gênero. Porém quando se travava da mãe as frases escritas eram: vai ver nem sabe quem é o pai, quem mandou abrir as pernas, por que não se preveniu.

Ai pergunto a você leitor (a) porque um pai solteiro é tão “bonito e honroso” e uma mãe solteira é tão “feio” perante a sociedade?

Mas vamos aprofundar um pouco a questão, gosto muito de observar as pessoas e o comportamento delas. Já observei mães que reclamam que o companheiro é machista, que não faz nada em casa, que se sente sobrecarregada (acredito mesmo que estejam) porem essas mesmas mães não deixam seus filhos brincar com bonecas porque é coisa de menino, não deixam seus filhos fazerem nada em casa porque é obrigação das mulheres da casa. Então como essas mulheres querem que seus filhos sejam pessoas ativas no serviço doméstico se dentro da própria casa o que se prega é essa cultura machista?

Quando saio para passear com meu marido e minha filha e ele está com ela no colo, sinto olhares estranhos de algumas pessoas que com certeza estão pensando qual será o motivo do super pai estar com o bebê e não a mãe já que é tarefa dela. Se ele estiver dando a mamadeira dela então nossa, os olhares são fulminantes em direção a mim.

Confesso que eu como mãe às vezes me sinto culpada quando meu marido fica com a Valentina no colo para fazê-la dormir (trabalho bem cansativo às vezes), mas eu não deveria me sentir assim, afinal de contas ela é filha dele também. Esse é um momento dos dois, um momento que ele participa da vida dela e não “apenas ajuda” como muitas pessoas falam e fazem.

Gente o fato é existem muitos super pais e supermães por aí. Criar uma criança é relativamente fácil, difícil mesmo é educá-la, transmitir valores numa sociedade tão contraditória e invertida que estamos vivendo.

Então ao invés de pensar que mundo deixaremos para nosso filhos, vamos pensar que filhos deixaremos para o mundo. A criança aprende com o exemplo e não com as palavras, sendo assim se quisermos mudar essa sociedade que não valoriza o trabalho da mulher enquanto mãe temos que educar nossos filhos e plantar essa semente para colhermos os frutos no futuro.

Caro leitor gostaria de salientar que este não é um texto feminista ou algo do gênero, esse texto é apenas uma reflexão sobre nossa sociedade e sobre as observações que faço no meu dia a dia enquanto mãe e mulher.

Beijinhos estalados e até a próxima

 

Atualização profissional – Cursos on line

Hoje o post é sobre um assunto muito importante nos dias de hoje, a atualização profissional. O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e precisamos estar sempre antenadas no que está acontecendo fora da caixinha.

O grande problema relacionado a emprego que as empresas enfrentam é a falta de qualificação profissional. Cada um possui o seu motivo para estar desatualizada, sejam os afazeres domésticos, filhos, trabalho, muito tempo no trânsito ou os mais diversos tomadores de tempo que temos.

Mas precisamos nos adaptar aos tempos modernos se quisermos garantir nosso lugar ao sol. Uma coisa que recomendo para quem não tem tempo ou grandes disponibilidades financeiras são os cursos on line. Diversos sites possuem cursos grátis e com certificado, alguns deles são pagos por curso ou você paga um único valor e tem a oportunidade de realizar todos os cursos disponíveis naquela plataforma.

As vantagens desse modo de estudo são: flexibilidade de horário, baixo ou nenhum custo em relação ao estudo presencial, utilização de modernos recursos multi mídia, o aluno é o sujeito da aprendizagem e atualização do currículo.

Em contrapartida as desvantagens da educação a distância são: ausências de respostas rápidas as dúvidas, exige um grau de maturidade e comprometimento com relação ao estudo e falta de interação direta com outras pessoas.

Analisando todos esses fatores você pode tentar adequar uma rotina de estudos a sua realidade ou pelo menos dar uma chance a esse método de ensino que vem crescendo com força nos últimos anos.

Vou citar agora alguns sites dos quais já fiz cursos e o que achei de cada um deles:

www.portaleducacao.com.br

Os cursos são pagos, a plataforma oferece desde cursos de atualização chegando até a ofertar pós-graduação online. O conteúdo é de fácil entendimento e o certificado dependendo da carga horária dos cursos são aceitos em concursos público como prova de títulos e são aceitos também em universidades como atividades complementares. O site oferece mais de 1500 cursos em diversas áreas.

www.iped.com.br

O site possui mais de 1000 cursos em diversas áreas, as aulas são feitas atrás de slides e com atividades entre os módulos. O conteúdo é muito bem explicado e de fácil entendimento. Existe a possibilidade de realizar um curso grátis a cada 180 dias, porém esses cursos são de menor duração e possui algumas limitações em relação ao  mesmo curso nos outros planos.

www.eduk.com.br

As aulas são em vídeo e se você conseguir pegar as aulas ao vivo melhor ainda, pois o estudante tem a possibilidade de interagir e tirar dúvidas na hora. O conteúdo é muito bom e com excelentes professores.

Bom, esses são alguns sites dos quais já realizei cursos online, mas existe uma infinidade na internet. Procure o curso que seja mais adequado ao seu objetivo e não deixe de se atualizar.

 

Beijinhos estalados e até a próxima